fbpx

O que é marketing de conteúdo?

O marketing de conteúdo é a criação e distribuição de material de marketing digital com o objetivo de aumentar o reconhecimento da marca, melhorar o ranking dos mecanismos de busca e gerar interesse do público. As empresas usam o marketing de conteúdo para nutrir leads e viabilizar vendas usando análise de sites, pesquisa de palavras-chave e recomendações estratégicas direcionadas.

o que é marketing de conteúdo

Índice sobre o que é marketing de conteúdo

Por que uma estratégia de marketing de conteúdo é importante?

Criar uma estratégia adequada ao seu negócio e público-alvo específicos é como você se mantém fiel à sua marca e torna os materiais de marketing o mais eficientes possível. É importante avaliar cada ativo pelo valor que agrega à estratégia como um todo e faça os ajustes necessários. Uma estratégia de marketing de conteúdo adequada educa os clientes, estimula as perspectivas e fecha as vendas.

estratégias de marketing de conteúdo

Como o SEO se encaixa?

Em um sentido prático, marketing de conteúdo e otimização de mecanismo de busca (SEO)andam juntos.

Para obter uma classificação alta nas SERPs, você precisa de conteúdo orgânico de alta qualidade. Para saber quais palavras-chave segmentar em sua cópia, você precisa de SEO.

O SEO é um componente fundamental do marketing de conteúdo, pois muitas vezes é a peça central de todas as estratégias e campanhas. A otimização do seu conteúdo permite que você atualize as mensagens da sua marca para um público moderno, supere os concorrentes por palavras-chave de alto valor e mantenha suas páginas da Web alinhadas com as preferências no Google.

Fatores de classificação

Dentro da prática de SEO, existem fatores de classificação específicos a serem considerados. Segundo o Google, existem mais de 200 critérios que o mecanismo de pesquisa pesa ao rastrear e indexar suas páginas da web. Com base em como o seu site e seu conteúdo se saem nessas avaliações, um algoritmo servirá suas páginas para os pesquisadores.

Alguns sinais de classificação são mais fortes que outros, e o Google nem sempre revela o peso exato de cada um. O que sabemos é que os principais fatores incluem:

  1. Links;
  2. Conteúdo;
  3. Tráfego direto;
  4. Design responsivo móvel;
  5. HTTPS;
  6. Palavras-chave de texto âncora;
  7. Sinais de comportamento do usuário.

Em termos leigos, tudo o que você publica na internet precisa 1) gerar backlinks respeitáveis, 2) ser útil para os leitores e 3) ter uma forte taxa de cliques e tempo de permanência.

Você não pode criar conteúdo sem SEO e SEO sem conteúdo – eles são inseparáveis.

Fatores de classificação para marketing de conteudo

Benefícios do marketing de conteúdo

Existem benefícios quase infinitos ao empregar uma estratégia de marketing de conteúdo.

Alguns dos benefícios mais importantes incluem:

Conversões mais baratas.

Conversões mais baratas

Vendas mais rápidas

Vendas mais rápidas

Redução de gastos com marketing

Redução de gastos com marketing

Baixa barreira à entrada no mercado

Baixa barreira à entrada no mercado

Geração e qualificação de leads mais fortes

Geração e qualificação de leads mais fortes

Resultados mensuráveis

Resultados mensuráveis

Mais tráfego

Mais tráfego

Maior classificação nos mecanismos de pesquisa

Liderança de pensamento

Liderança de pensamento

Gerenciamento de reputação

Construção de lista de e-mail

Construção de lista de e-mail

Mind share

Mind share

Unificar as equipes de vendas e marketing é uma meta valiosa de todas as empresas, mas que raramente é alcançada. Com o marketing de conteúdo, os esforços de ambos os departamentos alimentam o mesmo funil, tornando o alinhamento escalável mais fácil do que nunca.

Por exemplo, a equipe de marketing pode aproveitar as ideias obtidas nas chamadas de vendas e no feedback dos clientes, enquanto o departamento de vendas pode complementar sua prospecção distribuindo material de marketing.

Uma maneira clara de analisar os benefícios do marketing de conteúdo é dar um passo atrás: O que sua organização deseja alcançar? A partir daí, você pode vincular seus objetivos comerciais a metas e ações específicas de marketing de conteúdo.

Se o seu objetivo for melhorar a qualidade do lead, uma campanha direcionada de nutrição de leads será inestimável. Da mesma forma, se seu objetivo for liderança, investimentos em mídia social e criação de conteúdo orgânico seria uma estratégia de ataque que vale a pena.

A execução de campanhas de marketing de conteúdo permite que você atinja qualquer objetivo necessário, sem desperdiçar recursos em estratégias de curto prazo ou publicidade cara.

Marketing de conteúdo B2C vs B2B

Marketing de conteúdo B2C vs B2B

A aplicação de marketing de conteúdo é independente do setor. Independentemente do mercado-alvo, geografia, idioma ou produto, as empresas precisam divulgar sua mensagem e estabelecer uma conexão com os clientes.

Em geral, o B2C é caracterizado por uma maior dependência de plataformas de mídia social centradas no consumidor, sites de comércio eletrônico, compatibilidade com dispositivos móveis e ativos de forma mais curta. Os ciclos de vendas são mais curtos e as expectativas dos usuários são extremamente altas.

Por outro lado, os profissionais de marketing de conteúdo B2B geralmente usam mais o LinkedIn, estratégias baseadas em contas e desenvolvimento de nichos de público. Os ciclos de vendas podem levar meses ou anos e os clientes podem ter orçamentos de milhões de reais.

Breve histórico do marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo existe há séculos; simplesmente não era referido como “marketing de conteúdo”.

Se você tem uma visão ampla do termo, a publicação de Benjamin Franklin do Poor Richard´s Almanack em 1732 é geralmente creditada como sendo o primeiro exemplo de marketing de conteúdo. Franklin criou e promoveu conteúdo que seu público queria ler como uma maneira de aumentar a conscientização sobre o negócio de impressão local.

Avançando rapidamente para o século XX, a Michelin começou a publicar guias de atrações parisienses para um público de 3.000 proprietários de automóveis – isso foi em 1900! Quatro anos depois, a Jell-O criou e distribuiu panfletos de receitas de porta em porta para gerar interesse em quão versátil a mistura de Jell-O era para o proprietário.

Antes da internet, a Proctor e a Gamble aperfeiçoaram o rádio de marca transmitindo novelas com posicionamentos estratégicos de produtos voltados para mães que ficam em casa. Nos anos 50, a Kellogg adaptou seu design gráfico e mensagens de marca para crianças, permitindo que vendessem mais cereais.

Hoje, as grandes marcas dominam a internet e as plataformas de mídia social substituem os veículos de publicidade tradicionais. É praticamente impossível ter sucesso como uma empresa B2C ou B2B sem aproveitar o marketing de conteúdo em sua forma moderna.

histórico do marketing de conteúdo

É praticamente impossível ter sucesso
como uma empresa B2C ou B2B
sem aproveitar o conteúdo
marketing em sua forma moderna

Como o marketing de conteúdo se relaciona com o marketing tradicional

O marketing tradicional refere-se a táticas mais antigas e convencionais usadas no passado e até hoje. Com isso queremos dizer:

Mala direta

Mala direta (brochuras, folhetos, cupons, cartões, etc.)

Publicidade impressa (revistas, publicações comerciais, outdoors etc.)

Anúncios de rádio ou TV

Anúncios de rádio ou TV

Telemarketing

Telemarketing (chamadas frias, etc.)

Os canais acima foram aperfeiçoados décadas atrás. E, embora tenham sido utilizados em seus formatos com restrição de tempo, eles não se adaptam a um público digital moderno.

Na sua essência, estas técnicas:

Interrompe a experiência do usuário

Interrompe a experiência do usuário

Existe apenas por um período mínimo de tempo

Existe apenas por um período mínimo de tempo

Não são econômicos

Gere leads de baixa qualidade

Gere leads de baixa qualidade

marketing de conteudo

O marketing de conteúdo permite os consumidores encontram qualidade no seu próprio tempo.

Uma estratégia tradicional de marketing de saída significa que as empresas precisam constantemente chamar a atenção do público, interrompendo outras formas de conteúdo. Por exemplo, os espectadores sintonizam no rádio a música e não nos anúncios irritantes no meio. Os leitores compram revistas para informação e conhecimento – não para os anúncios gigantes que aparecem em todas as outras páginas.

Como você pode ver, o marketing tradicional pode deixar um gosto ruim na boca dos consumidores, principalmente em relação às campanhas de marketing em nível empresarial de hoje.

O marketing de conteúdo adere a um modelo de entrada. Em vez de enviar suas mensagens para leads (por meio de anúncios), você gera leads para sua mensagem (por conteúdo orgânico). Ou seja, permita que os consumidores encontrem qualidade em seu próprio tempo.

O tráfego na internet dos mecanismos de pesquisa, mídia social, e-mail e domínios on-line é mais qualificado e mais útil para você, do que se você gastasse milhares em um anúncio de TV de 30 segundos ou em uma correspondência impressa em um pequeno raio de residências. O marketing de conteúdo on-line coloca você em contato com todos ao redor do mundo com uma conexão à Internet – para sempre.

Mesmo assim, ainda há um lugar para táticas tradicionais de marketing nos negócios modernos.

Tipos de conteúdo

Os formatos de marketing de conteúdo podem mudar frequentemente com base nas expectativas do cliente e nas demandas do usuário. À medida que sites e feeds sociais se tornam mais responsivos e sofisticados, eles podem hospedar formatos de arquivo mais dinâmicos, concedendo aos profissionais de marketing maiores oportunidades de reinventar a roda.

Escrita de Marketing de conteúdo

Escrita:

  • Artigos de blog;
  • Descrições de produtos;
  • Páginas de destino;
  • Comunicados de imprensa;
  • Guias de formato longo;
  • FAQs;
  • E-mail;
  • eBooks;
  • White papers;
  • Estudos de caso.
Video

Video:

  • Blogs em vídeo;
  • Produção de estúdio;
  • Vídeo no local;
  • Entrevistas em vídeo ou depoimentos;
  • Animações;
  • Demonstrações de produtos;
  • Promoções corporativas;
  • Filmagem do evento.
Gráficos

Gráficos:

  • Infográficos;
  • Ilustrações personalizadas;
  • Chamadas à ação;
  • Formatação de conteúdo;
  • Wireframes e Mockups.
Social

Social:

  • Conteúdo gerado por usuários;
  • Campanhas hashtag;
  • Posts sociais complementares;
  • Quizzes;
  • Pesquisas / inquéritos;
    Concursos.
Audio

Audio:

  • Podcasts;
  • Webinars;
  • Entrevistas gravadas.

Muitos tipos de conteúdo requerem colaboração com outros formatos, tornando-os híbridos que envolvem vários interessados ou departamentos. Os documentos técnicos, por exemplo, mesclam cópia escrita e formatação gráfica ou marca. As demos na interne também envolvem scripts escritos, narração em áudio e desenhos animados para formar um produto completo.

Canais de marketing de conteúdo

Como você publica, promove e amplia seu conteúdo é tão importante quanto o que você cria.

Embora seus ativos de marketing ajudem a definir quem você é como marca e qual mensagem você deseja transmitir, os canais nos quais você entrega esses ativos afetarão quem vê seu conteúdo e o desempenho dele.

Existem vários canais que os profissionais de marketing podem usar para interagir com clientes em potencial e clientes em potencial. Estes são os 10 métodos de distribuição mais importantes que você provavelmente encontrará:

1. Tráfego orgânico (SEO)

A geração de tráfego orgânico é alcançada através de SEO. De fato, os visitantes do site clicam no conteúdo encontrado em SERPs orgânicos – e tudo começou com uma consulta de pesquisa.

O conteúdo que você publica no seu site é indexado pelos mecanismos de pesquisa e veiculado aos usuários, e não precisa ser apenas artigos de blog. O conteúdo de vídeo e os infográficos – qualquer coisa que não seja de fato, na verdade – também aparecem nos SERPs, garantindo mais exposição e a chance de canalizar o tráfego para o seu site.

2. Tráfego de pesquisa paga (SEM)

Direcionar o tráfego dos mecanismos de busca por conteúdo orgânico é um ótimo investimento a longo prazo. Mas, às vezes, sua empresa precisa de uma forma mais rápida e mensurável de ROI, que pode ser obtida por meio de anúncios de pesquisa paga.

Como uma forma de publicidade paga por clique, os anúncios de pesquisa paga são exibidos na parte superior (e às vezes na parte inferior) das SERPs, dando à sua marca maior exposição que não poderia ser realizada de outra forma. A criação de páginas de destino, cópia de anúncio de marca e títulos dignos de clique em seus anúncios pagos pode roubar o tráfego dos concorrentes da SERP e canalizar leads comerciais para o seu site.

Trafego pago
Marketing de mídia social

3. Email marketing

O email marketing oferece o maior ROI de qualquer canal. Ao distribuir boletins e outras formas de conteúdo de marca diretamente para as caixas de entrada da sua lista de e-mail, você pode ter conversas individuais com clientes em potencial.

Ao segmentar suas listas de e-mail em vários tipos de contas, intenção do leitor e setores, você pode distribuir conteúdo com precisão, garantindo que sua mensagem chegue às pessoas certas no momento certo.

4. Marketing de mídia social

As mídias sociais ajudam a dar ao seu marketing mais personalidade, causa e comentários. Você pode postar conteúdo direcionado em um canal e outros tipos de ativos em outro – onde quer que seu público-alvo esteja, você o encontra lá.

Seus canais sociais também permitem que você responda a assinantes e seguidores, avalie o envolvimento em tempo real, promova produtos e faça contatos com influenciadores. É um ecossistema versátil e altamente vibrante para capitalizar.

LinkedIn, YouTube, Facebook, Twitter, Instagram e Pinterest dão ao seu conteúdo um alcance que não poderia ser alcançado em outros lugares, tornando-o uma ferramenta vital na sua estratégia de distribuição.

5. Link building

Como a qualidade e os backlinks confiáveis ​​de sites oficiais são um fator de classificação no Google, a obtenção desses links é uma maneira incrivelmente poderosa de aumentar o alcance da sua marca.

O edifício da ligação é a metodologia para gerar interesse no seu conteúdo e proteger os links que você procura. Você pode fazer isso através de:

Criando conteúdo bem pesquisado, digno de links.
Publicando estudos proprietários que não existem em nenhum outro lugar na web.
Postagem de convidado em outros sites e publicações de alto valor da indústria.
Alcance de link manual ou automático.
Publicar o conteúdo e, em seguida, colocá-lo nas mãos certas é a chave para a criação de links. O suco do link obtido com cada URL de domínio recebido aumentará a classificação do seu site.

6. Podcasting

Um método de distribuição mais recente, o podcasting explodiu em popularidade. Como o usuário médio de smartphone gasta quase 4 horas por dia em aplicativos, a gravação de um podcast pode colocar sua empresa na frente desses usuários via Apple Podcasts, Spotify, iTunes, Anchor e dezenas de outros aplicativos de audição no mercado.

O podcasting oferece à sua marca outro fórum para aprofundar assuntos de nicho, entrevistar especialistas do setor e fazer contatos com empresas e consumidores com idéias semelhantes. É uma ótima maneira de transmitir sua mensagem de forma audível, pois os ouvintes podem apreciar seu conteúdo enquanto dirigem, viajam de trem, se exercitam, cozinham o jantar e sempre que têm tempo de inatividade.

As pessoas provavelmente encontrarão seu podcast da mesma maneira que encontram seu site: Organicamente. O que significa que existe uma estratégia para tornar seu programa acessível ao ouvinte comum.

Link building
Exibição de publicidade de conteúdo

7. Remarketing

Ficar na frente do seu público enquanto ele se move pela internet é uma ótima maneira de compartilhar seu negócio e permanecer visível entre tantos distrações concorrentes. Sempre que alguém visita seu site, ele é marcado (um pequeno pedaço de código). Depois que eles saem do site, seus anúncios pagos podem ser exibidos em outros sites, aplicativos ou plataformas sociais que eles visitam, criando uma trilha de interações com a marca. Esses anúncios geralmente são exibidos banners compostos por texto, imagens e botões.

8. Syndication

A Syndication de conteúdo é uma rede de sites que republicam ou apresentam novamente o conteúdo existente na internet, em sinopse completa ou resumida. A Syndication  permite que seu conteúdo apareça na frente de mais leitores on-line do que poderia por si só. A desvantagem, no entanto, é que a maioria das plataformas de distribuição são serviços pagos e a qualidade do tráfego enviada para o seu conteúdo não pode ser garantida.

Como criar uma estratégia de marketing de conteúdo

Não há duas estratégias de marketing de conteúdo iguais – pelo menos não deveriam ser. Em um nível alto, “blogar” é uma estratégia, assim como “marketing de vídeo”. Mas aprofundar as táticas, prazos e metas dessas estratégias revela que há muita variabilidade e sutilezas em jogo.

Para desenvolver uma estratégia de marketing de conteúdo projetada exclusivamente para sua marca, seus objetivos e recursos, aqui estão alguns pontos de partida e exemplos simples:

Identifique objetivos de negócios de curto e longo prazo.

Aumento de 40% nas assinaturas de clientes no próximo trimestre.

Estabeleça como a equipe de marketing pode ajudar a cumprir esses objetivos.

Crie conteúdo no meio do funil que ajude a aproximar os clientes em potencial de uma conversão.

Entenda quais personas compradoras você está segmentando com seu conteúdo.

Quem dentro do seu público-alvo tem poder de compra para se tornar um cliente pagante?

Decida quais tipos de conteúdo são preferidos por esses compradores.

Essa pessoa consome principalmente artigos curtos ou prefere demonstrações em vídeo e reuniões presenciais?

Selecione promoções e canais de distribuição que seu público-alvo usa.

Eles estão ativos em plataformas específicas de mídia social ou contam com e-mail ou mecanismos de pesquisa para coletar informações?

Mapeie os caminhos de conversão para a jornada do cliente.

Em que estágio do funil você espera aumentar as conversões e remover os obstáculos finais do cliente?

Crie frases de chamariz e de ação para rastrear e medir o desempenho e as finalizações de meta.

Para atribuir corretamente o sucesso e identificar a desistência, crie CTAs clicáveis ​​que levam a páginas de destino dedicadas – e acompanhe esses cliques, links e ações com código e integração no painel de análise.

Crie um modelo ou fluxo de trabalho que organize e facilite a execução das etapas acima.

Use metodologia ágil, software de gerenciamento de projetos, fornecedores de agências criativas ou outros sistemas para coordenar sua campanha

Embora essas etapas sirvam como um esqueleto para sua estrutura de marketing, o “como real” de criar, implementar e executar as especificidades de sua estratégia depende de você, seu orçamento e suas ferramentas.

Essas amplas categorizações ajudam a colocar em perspectiva não apenas de quanto gastar, mas como gastar com eficiência. Em outras palavras, como criar conteúdo totalmente a serviço de seus objetivos, maximizando cada centavo ao longo do caminho. Por exemplo, se você deseja obter mais downloads de e-books, a criação de postagens no Facebook não ajudará você a atingir essa meta.

Entendendo seu público-alvo

Uma máxima do marketing de conteúdo a ser lembrada é: você não é seu público-alvo. Criar conteúdo porque você “acha que é bom” ou “é legal” ou “é isso que meu chefe queria” não é suficiente.

Na verdade, não é aconselhável. Em vez disso, seja 100% focado no usuário. Responda às perguntas deles. Desperte o interesse deles. Envolver o seu tempo.

Na prática, isso significa criar perfis de usuário dedicados. A criação desses esboços descreve para quem você deve direcionar, em que jornada eles estão e quais tipos de conteúdo têm mais probabilidade de converter.

Como ponto de referência, faça uma distinção entre alguns tipos diferentes de visitantes do site.

Melhor engajador

Essa é a pessoa que não apenas clica nos seus artigos, mas também os envolve, os usa para pesquisas e pode se inscrever em vários canais de marketing da sua empresa

Melhor influenciador

Melhor influenciador

Essa é a pessoa que tem apenas conhecimento superficial de quem você é e o que faz. Eles não têm tempo para ler todas as páginas do seu site. Seu papel é um facilitador das informações. Eles compartilham seu conteúdo com as partes internas interessadas, atestam seus serviços em detrimento dos concorrentes e desejam falar diretamente com você, antes de falar com o chefe dele.

Melhor tomador de decisão

Essa é a pessoa que assina na linha pontilhada e tem autoridade para fazê-lo. Eles realmente não se envolvem ou interagem com seu site – eles precisam apenas de informações suficientes para tomar uma boa decisão sobre um possível relacionamento comercial. Essa pessoa tem cotas a cumprir, prazos rígidos a cumprir e deseja iniciar os negócios rapidamente.

Cada uma dessas personas tem motivações e interesses diferentes, tanto pessoal quanto profissionalmente. Como tal, eles interpretam e experimentam seu site de maneiras únicas. A segmentação do seu conteúdo para cada persona e o ajuste dos seus KPIs de acordo podem ajudar a manter suas métricas precisas e acionáveis.

Como você pode ver, no nível de marketing, não existe um único “público-alvo”. Depois de analisar os principais detalhes de por que você está criando conteúdo e para quem, percebe que existem vários níveis e tons no seu público-alvo.

Marketing de conteúdo no funil de vendas

O funil de vendas é a base elementar do alinhamento de marketing e vendas. Para qualquer empresa, saber como o seu funil toma forma, como cada estágio é executado e onde as melhorias podem ser feitas permite que você crie conteúdo com maior probabilidade de ressonância – e conversão.

Usando um entendimento comum do funil de vendas, podemos dividi-lo em quatro partes constituintes:

Consciência

Consciência

Os usuários estão apenas descobrindo sua marca e não querem ser convencidos ou vendidos.

Interesse

Interesse

Os usuários podem ficar intrigados com suas ofertas e interessados ​​em ver mais conteúdo ou seguir sua marca nas mídias sociais.

Consideração

Consideração

Os usuários são mais orientados para as intenções e estão comparando ativamente sua marca com os outros, com base no alinhamento de seus produtos ou serviços com suas necessidades distintas.

Compra

Compra

Os usuários estão prontos para se tornarem clientes pagantes depois de avaliarem totalmente sua marca. Tudo o que espera é uma troca de cartões ou uma assinatura de contrato.

Dentro dessas quatro fases, a intenção do usuário varia. Enquanto um profissional de marketing tradicional difundiria todas essas quatro personalidades com o mesmo comercial de TV modelado, um profissional de marketing digital criaria mensagens mais personalizadas, direcionadas aos usuários apenas dentro dos limites de seu estágio específico do funil.

Esse nível de distinção e otimização significa que cada conteúdo é voltado para um público específico e que você pode acompanhar melhor seus investimentos no funil. Da mesma forma, você pode achar que os clientes em potencial chegam ao estágio de consideração do funil e depois abandonam completamente. Isso sinaliza a necessidade, de sua parte, de criar conteúdo para o estágio de consideração que recrie os clientes em potencial, o diferencie dos concorrentes e dê a eles melhores motivos para passar para a fase de compra.

Aqui está outra olhada nas quatro etapas de vendas e quais tipos de conteúdo são mais adequados para cada:

Consciência

  • Artigos de blog;
  • Infográficos;
  • Postagens de mídia social;
  • Podcasts.
  • Vídeos curtos.

Interesse

  • eBooks;
  • Vídeos explicativos;
  • Páginas de destino da conversão;
  • Exibir anúncios.

Consideração

  • Estudos de caso;
  • Depoimentos de clientes;
  • Demonstrações na Web;
  • FAQs;
  • Folhas de vendas.

Compra

  • E-mails de vendas;
  • Depoimentos em vídeo no site;
  • Amostra ou conteúdo de avaliação.

À medida que sua equipe desenvolve os ativos acima, você pode implantá-los com precisão na fase correspondente do funil. Para não misturar suas perspectivas de mensagens ou confusão com conteúdo não contextualizado, os departamentos de marketing e vendas devem trabalhar em total coesão, de preferência com o suporte do software de ativação de vendas.

As vendas não devem ligar para alguém que já está na fase de compra e o marketing não deve enviar e-mails promocionais para alguém que clicou no seu site pela primeira vez ontem.

À medida que as equipes de vendas e marketing colaboram e trabalham em uníssono, você tem mais confiança de que todos os ativos são projetados especificamente para converter usuários e que todas as decisões estão vinculadas ao ROI mensurável.

Quantidade versus qualidade

Agora, os algoritmos dos mecanismos de busca são melhores na identificação da qualidade do conteúdo do que os engenheiros que os criaram, de acordo com o Google. Dessa forma, o debate quantidade versus qualidade não é realmente um debate que valha a pena ter para os profissionais de marketing.

O objetivo de todo conteúdo que você cria é estabelecer uma conexão com um leitor, ouvinte ou visualizador humano. Algumas empresas podem fazer várias vezes ao dia. O profissional de marketing médio, no entanto, pode criar e publicar conteúdo uma ou duas vezes por semana.

A principal coisa a lembrar sobre o marketing de conteúdo, porém, é que o volume não é uma métrica que os mecanismos de pesquisa medem e pode não ser o que os consumidores se preocupam. Por outro lado, os profissionais de marketing têm cotas de tráfego e conversão para atender, e um volume maior de conteúdo pode ajudar a atingir esse marcos. Equilibrar esses benchmarks de dados internos com o valor real que você está fornecendo aos usuários é onde seus gerentes de marketing de conteúdo entram na equação.

Eles devem ter um olhar perspicaz para o que é necessário e o que é um exagero.

Alguns dos sites com melhor classificação publicam apenas uma vez por mês, se houver. No entanto, eles têm uma classificação alta para cada palavra-chave segmentada – quantidade não é uma métrica importante para eles.

Desenhar essa linha na sua empresa pode ajudar os profissionais de marketing a criar campanhas mais estratégicas e manter todas as partes interessadas informadas dos objetivos subjacentes que esperam alcançar.

Quantidade versus qualidade

O objetivo de cada pedaço de
o conteúdo que você cria é fazer uma conexão com um leitor humano, ouvinte ou visualizador.

Como gerar ideias de conteúdo

Não faltam ferramentas, truques e dicas para gerar ideias de conteúdo. Se o principal obstáculo ao seu marketing for o volume, a geração de ideias em massa poderá valer a pena. Por outro lado, se o seu conteúdo perder constantemente a marca devido à má estratégia, seu objetivo pode ser produzir ideias mais direcionadas e valiosas para um subconjunto menor de leitores de alta conversão.

Opções na SERP

O Google possui vários recursos gratuitos e fáceis de usar, diretamente nos SERPs, que podem indicar o que você deve escrever.

  • As perguntas das pessoas;
  • Pesquisas relacionadas;
  • Sugestão automática;
  • Tendências;
  • Notícias.

Ferramentas de SEO

Aprofundar-se nas idéias orientadas por palavras-chave pode ajudar a entender as consultas de pesquisa. Em seguida, você pode trabalhar criar conteúdo que preencha essa intenção de pesquisa.

  • Google Analytics;
  • SEMrush;
  • Answer the Public;
  • MarketMuse;
  • Moz.
Como gerar ideias de conteúdo
criando marketing de conteudo

Mídia social

Acompanhando histórico de tendências, eventos virais e tópicos de alto envolvimento mantém você informado sobre o que está acontecendo no seu setor e onde você pode desempenhar um papel na conversa.

  • BuzzSumo;
  • Twitter “Tendências para você”;
  • Hashtags;
  • Fóruns da indústria;
  • Avaliações de Clientes.

Internamente

A equipe de sua empresa tem experiência técnica e industrial exclusiva. Faça perguntas a diferentes departamentos, faça brainstorm lateralmente com as equipes de vendas e aprenda mais sobre o assunto em questão, olhando para dentro dos membros da equipe.

  • Colabore com as vendas;
  • Fale com os desenvolvedores do produto;
  • Faça pesquisas internas.

Sua organização nunca deve deixar de ter idéias de conteúdo. Porém, assegure-se de que os tópicos gerados ainda estejam alinhados com seus objetivos comerciais maiores e que eles possam ser refinados no processo de criação de conteúdo para atender ao ideal:

  • Persona do comprador;
  • Estágio no funil de vendas;
  • Destino da palavra-chave.

Construindo fluxos de trabalho de marketing de conteúdo

Embora todas as empresas trabalhem inevitavelmente à sua maneira, seus programas de marketing devem seguir protocolos dedicados devido ao número de etapas e partes interessadas envolvidas. As empresas que trabalham com fornecedores, contratados, freelancers, funcionários temporários ou outros tipos de terceiros externos se beneficiarão especialmente de fluxos de trabalho organizados.

Outra consideração é o software e suas possíveis integrações. Com aplicativos de gerenciamento de projetos, APIs de entrega de conteúdo, plataformas de hospedagem de arquivos e várias formas de canais de mensagens de bate-papo, fazer com que todos esses sistemas funcionem de forma coesa é a chave para o tempo de atividade de marketing e a qualidade do conteúdo.

Geralmente, começar com seus objetivos é uma trilha bem-sucedida e mensurável. Aqui está um esboço de como isso pode ser:

  1. Defina objetivos por um período definido.
  2. Determine que estágio (s) do funil produzirá metas acordadas.
  3. Decida quais canais de distribuição atenderão melhor a esses estágios.
  4. Qualifique os tipos de conteúdo que melhor servirão ao público-alvo em questão.
  5. Quantifique quanto conteúdo é necessário.
  6. Identifique recursos internos ou externos capazes de criar conteúdo sob esta estratégia e prazo.
  7. Avalie a análise de linha de base antes do início de uma campanha.
  8. Acompanhe as métricas de desempenho em tempo real e compare-as com sua linha de base e sua meta final.
  9. Faça ajustes de conteúdo, distribuição ou estratégia, conforme necessário.
  10. Finalize o final da campanha e relate o resultado final.
fluxos de trabalho de marketing de conteúdo

Os fluxos de trabalho distintos em um nível de ativo por ativo podem variar, pois um artigo de blog leva menos trabalho e menos tempo do que uma gravação de vídeo no local, por exemplo.

Os profissionais da metodologia ágil podem aderir a um fluxo de trabalho baseado em sprint, trabalhando em pequenos intervalos para produzir grandes lotes de conteúdos coordenados. Outros tipos de fluxos de trabalho podem ser mais lineares, com os departamentos trabalhando um de cada vez como uma linha de montagem – conhecida como cascata.

Dependendo da escala de suas campanhas e dos recursos disponíveis, você pode precisar de dezenas de ativos de marketing em andamento ao mesmo tempo e várias pessoas gerenciando o agendamento, a colaboração e a aprovação de cada estágio desses ativos. Qualquer micro atraso pode levar a cotas perdidas.

Para manter o escopo completo do seu fluxo de trabalho nos trilhos, considere usar:

  • Um único software de gerenciamento de projetos para todos os departamentos e fornecedores;
  • Ferramentas de videoconferência fáceis de usar;
  • Compartilhamento e edição de arquivos colaborativos;
  • Métricas e prazos claros.

 

Quanto tempo leva para o marketing de conteúdo mostrar o ROI?

O retorno do investimento pode ser rastreado, analisado e relatado de várias maneiras.

Uma regra geral a seguir é: o marketing de conteúdo leva cerca de seis meses para começar a mostrar o verdadeiro ROI.

Como tal, o marketing de conteúdo é um investimento a longo prazo. O que é uma coisa boa porque, assim como a riqueza pessoal, aumenta e aumenta com o tempo. Enquanto seu site e feeds sociais permanecerem ativos, você terá um catálogo abrangente de páginas que atraem tráfego a cada segundo. Quanto melhor o seu conteúdo, maior a probabilidade de gerar um maior ROI.

Também descobrimos que pode levar pelo menos 100 dias (ou cerca de 3 meses) para que seu conteúdo “amadureça” aos olhos dos mecanismos de pesquisa. Você não pode publicar uma postagem de blog em um dia e esperar ganhos imediatos no dia seguinte. Os algoritmos do mecanismo de pesquisa devem rastrear suas páginas, analisar quantidades enormes de código, avaliar a qualidade do seu conteúdo e indexar essas páginas nas SERPs para os pesquisadores apropriados.

Esse processo não acontece da noite para o dia. O Google pode classificar sua postagem do blog na posição 3 no dia 10, mas depois na posição 12 algumas semanas depois – e vice-versa. Essa volatilidade é a maneira do Google finalizar o valor das suas páginas da web para os pesquisadores e onde, nas SERPs, elas devem ser exibidas.

Quanto tempo leva para o marketing de conteúdo mostrar o ROI

Após a marca de 100 dias, você pode assumir que essas páginas “amadureceram” e se estabeleceram em uma posição SERP mais concreta e previsível.

É fundamental definir expectativas apropriadas em sua empresa, pois algumas partes interessadas podem exigir vitórias rápidas ou objetivos cientificamente irrealistas. 

Receba nossas atualizações, novidades e conteúdo exclusivo.

Confira nossas políticas de privacidade.